“se o álcool vem da frutose da cana de açúcar e o excesso de álcool causa cirrose,
é obvio que o excesso de fruta que tem frutose também pode causar gordura no fígado”.
Ou alguma coisa assim foi dita na polêmica da frutose!rsrs

Oi? Calma lá, uma coisa é uma coisa e a outra é totalmente diferente.

Cirrose é como uma pequena cicatriz no tecido do fígado que pode ter desenvolvimento direto por mecanismos ainda em estudos ou como consequência do acúmulo de gordura nas células do fígado, os hepatócitos. Dentre os fatores que podem influenciar essa acúmulo de gordura no fígado está o consumo de álcool em excesso, alguns medicamentos, doença auto-imune e consumo alimentar.

Para você entender como pode acontecer esse acúmulo de gordura, precisa saber que o fígado é como se fosse uma grande distribuidora. De forma bem superficial (se você é da saúde talvez ache muito simples essa explicação), os alimentos que consumimos são digeridos pelo estômago, absorvidos no intestino e essas partes piticas (aminoácidos, sacarídeos e ácidos graxos) são enviados para o fígado para distribuição entre os tecidos. Todo excesso de alimento é transformado em gordurinhas e enviado para o tecido adiposo, ou seja, não importa se é carboidrato, gordura ou proteína – se o corpo não gastar nas atividades do dia a dia vai ser estocado primeiramente no tecido adiposo como gordurinha. Quando esse consumo alimentar em excesso é frequente, o fígado fica sobrecarregado de trabalho e acontece uma série de reações em cascata, com alterações na ação da insulina e inflamação de baixo grau que mudam o funcionamento normal do fígado. Essa mudança no funcionamento do fígado pode levar ao acúmulo de gordura na forma de triglicérides nos hepatócitos. O organismo pode reagir a esse processo com inflamação e a célula “se mata” inicialmente como forma de defesa do organismo, mas esse hepatócito vai sofrer um processo de cicatrização – que no fígado chamamos de cirrose. Até certo ponto a cirrose pode ser reversível (tem como recuperar), mas quando há formação de fibrose já não tem como recuperar.

Acontece que alguns pontos precisam ser destacados.

  1. a frutose é realmente metabolizada diferente da glicose e alguns estudos apontam que o excesso de frutose na forma de XAROPE DE MILHO pode ser um gatilho para o acúmulo de gordura no fígado. Evite alimentos com esse ingrediente quando for consumir industrializados.
  2. as frutas contém uma quantidade MUITO menor de frutose, além de MUITOS outros componentes de ação antioxidante e anti-inflamatória. Não há estudos que relacionem o consumo de frutas com o acúmulo de gordura do fígado ou cirrose.
  3. isso não quer dizer que você pode tomar muitos litros de suco de qualquer fruta por dia, TUDO em excesso leva ao desequilíbrio.

Mas Ká, isso parece muito complexo! Como faz para evitar esse acúmulo de gordura no fígado?

  1. Comer o suficiente para o seu corpo funcionar bem, respeitando a fome e saciedade com comida de verdade. Aquela regra do descascar mais e desembalar menos vale aqui! Também vale ler os rótulos e não consumir quando você não reconhecer os ingredientes como comida.
  2. Consumir alimentos ricos em vitaminas, minerais e compostos ativos que vão potencializar o funcionamento do fígado (e do organismo todo), ou seja, alimentos frescos como verduras, legumes, frutas, castanhas, sementes, grãos e cereais. São especialmente importantes alimentos ricos em ômega 3, como linhaça, chia, castanhas e azeite. A vitamina D (aquela do sol) também é importante!  
  3. Praticar atividade física regularmente para manter o gasto energético aumentado e o metabolismo de captação e uso de substrato (carboidratos, gorduras e proteínas) trabalhando de forma eficiente – ou seja exercício de força e de resistência com orientação de educador físico! 
  4. Dormir o suficiente e com qualidade, afinal é durante a noite que o fígado se recupera. Aliás, por isso é importante consumir alimentos de fácil digestão no período da noite.

Viu? Sem neura!!! Só equilíbrio, mais uma vez!!!